30 de novembro de 2007

Para que preciso de pés se tenho asas para voar?*



Ultimamente tenho-me cruzado com os quadros da Ana Cardoso. São tão divertidos, tão cheios de cor e de vida, apetece comprar todos.
*Este, particularmente, com uma frase da Frida Khalo (outra das minhas pintoras favoritas).














28 de novembro de 2007

O pior cego é aquele que não me quer ver*
















O meu filho foi ao oftamologista porque desde que nasceu o olho esquerdo chorava muito. Parecia ser o canal que estava entupido. Sem aviso nem remorsos o médico pôs-lhe umas gotinhas, anestesia, e enfiou uma sonda pelo canal adentro. Ao que parece livrou-se de uma anestesia geral. A mãe teve que virar a cara. Meu Deus as coisas que obrigas o meu filho a passar...

* António Lobo Antunes
Pintura "Eye" the M.C.Escher

27 de novembro de 2007

Qualquer dia vão me ver de mãos nas ancas....


Primeiro marcam-nos uma consulta de um dia para o outro (desmarcar tudo à pressa e avisar chefes). Depois marcam-na às 08H30 da manhã. Somos os primeiros a chegar. Somos atendidos às 10H30. E antes de sermos atendidos chamaram todos pais que chegaram depois de nós. Ao que parece o bébé tem que estar a dormir para fazer o exame aos ouvidos. Ninguém avisou. Depois houve uma enfermeira que decidiu fazer um interrogatório sobre as razões porque é que o Pedro estava a chorar (como se nós soubessemos porque é que os filhos fazem birras) . Lá lhe deram um "licorzinho" para dormir. Para além do atraso do médico, da enfermeira chata, ainda tive que acalmar o meu marido (que nesta altura já queria bater na enfermeira e no médico ....).
Foto da Helena Almeida - Seduzir

25 de novembro de 2007

Olá, Adeus, avião, carro, galinha, cão...





Na consulta de desenvolvimento ficou decidido iniciarmos a associação de gestos a palavras enquanto falamos com o Pedro, com base num cd da Oficina dos Gestos.

As pessoas que me rodeiam não reagiram muito bem a esta metodologia. Talvez porque o gesto ainda esteja muito associado aos surdos. Ou porque crêem que se a criança se habituar ao gesto tal ainda atrasará mais a fala.

Mas ao que parece o gesto "cai" assim que a criança consegue dizer a palavra. E pode ajudá-lo a comunicar com os outros numa fase anterior à fala.

Aquilo que eu sei, foi que o meu filho ficou completamente “vidrado” nos meus gestos, e seguia com muita atenção as minhas mãos e a minha boca, sobretudo quando eu imitava os sons dos animais. Além de que se fartou de rir.

Também comecei a ensinar-lhe bater as palminhas.


22 de novembro de 2007

Laranjas Doces






Hoje conversei pela primeira vez com dois pais com filhos com T21. E foi como provar laranjas doces pela primeira vez. Finalmente alguém que falava a mesma linguagem que a minha. Nada de explicar duas e três vezes as mesmas coisas. Os mesmos médicos. Os mesmos sustos. As mesmas dúvidas. O mesmo amor.

21 de novembro de 2007

Prendas de Natal



Uma empresa espanhola decidiu lançar no mercado um(a) boneco(a), Baby Down, que tem feições semelhantes às crianças que sofrem do sindrome de down. A boneca custa 25 euros e uma parte do dinheiro reverte a favor da Fundação Down Espanhola.

Além de sensibilizar as crianças para as incapacidades e deficiências físicas de outras crianças, ainda permite aos pais de bébés com trissomia21 esclarecer algumas dúvidas e até aprender algumas actividades para estimular o seu bébé.

Uma medida contra o preconceito. Como diria Neil Armstrong “that's one small step for [a] man, one giant leap for mankind”.

Deviam chover lágrimas quando o coração pesa muito*




Não consigo escrever com o meu filho doente. Agora já está melhor da bronquiolite que nos obrigou a uma hospedagem forçada no Hospital. António Lobo Antunes dizia "não há solidão pior que a do Hospital". Não tenho mais nada a acrescentar.

*Lobo Antunes, António; Terceiro Livro das Crónicas